quinta-feira, 24 de maio de 2018

(im)perceptível

Já faz um tempo em que eu venho chorando, e por algum tempo eu até consigo esconder. Eu escondo o medo, escondo a raiva, com muito esforço consigo até esconder a ansiedade, mas o choro não. O choro eu não consigo. Eu engulo, claro. Não saio chorando por aí, mesmo que por dentro, eu ainda esteja aos prantos.. mas algumas pessoas percebem, desse vez, as nem tao próximas que vieram comentar que eu ando diferente, questionando se ta tudo bem. É que elas talvez até consigam sentir, a minha energia diferente, mas as minhas lagrimas que internamente não param de cair, elas não veem.

Pois é, pra alguns eu até consigo esconder que eu to bem cansado, que eu to desacreditado, que eu perdi a confiança. Mas pra outros, a minha risada já ta amarela, a minha expressão estranha e o meu bom dia, tão politico. Pra mim mesmo, eu nem sei quando é estafa, quando é birra, quando é manha ou quando realmente é a hora de parar.

É que de tanto engolir o choro, eu já to inundado. Que de tanto repetir que daqui a pouco mudo e que logo melhora, eu já perdi a palavra. Já é desnecessário eu me lembrar que amanhã é um novo dia, que vai melhorar, por que eu não consigo mais acreditar. Que eu, que não satisfeito em fazer, sempre quis ser a diferença, isso não consegui mudar.

E agora, prefiro nem mesmo mais tentar. Por hoje chega de lutar, de tentar, de make believe. Engolir o choro dói a garganta, e isso só sente quem passa. Já que a gente parou de acreditar em mim, o certo mesmo é deixar passar, deixar sofrer, liberar os prantos, deixar chorar, deixar sangrar. Amanhã a gente acorda, e se conseguir, a gente finge que consegue, finge que acredita, finge que finalmente, parou de chorar.


"give me a long kiss goodnight and everything will be all right.."

Nenhum comentário:

Postar um comentário