domingo, 17 de abril de 2016

My strength.

Não lembro bem quando eu percebi isso, mas não faz muito tempo não. Cada dia mais eu preciso do meu foco, da minha determinação e da minha disciplina pra conseguir as coisas que eu quero. E muitas vezes, me manter no caminho já é difícil, muitas vezes, seguir o planejado exige muito mais de mim, mais do que eu posso dar. 

E eu nem sempre consigo. Aliás, em muitas vezes eu não consigo, mas não são dessas vezes que eu quero falar hoje. Hoje abri o segundo andar pra falar das vezes em que eu consegui andar nos trilhos. Das vezes que eu nadei contra a maré dos meus próprios pensamentos. De onde eu tiro essa força, de onde vem todo esse foco que me ajudar a subir a minha montanha?

E foi recentemente que percebi, que essa força está embaixo do meu travesseiro. E o motivo disso, é encontrado lá atrás, na minha infância (que não é tanto tempo atrás assim, rs). Quando eu era pequenino, não que fosse uma rotina ou um regra, mas de vez em quando meus pais escondiam surpresas - ou presentes - embaixo do meu travesseiro. E isso era mágico. 

As vezes eu passava o dia inteiro, sem saber que tinha alguma coisa lá pra mim. E aí na hora de dormir, aquela surpresa! Caralho como era bom! Como essas surpresas me ajudavam a ser o menino mais feliz do mundo, me enchiam de positividade pra reflexão do dia que passou, e pros planejamentos do dia que ia vir. 

E não, hoje em dia meus pais não me dão mais presentes embaixo do meu travesseiro. Inclusive, nem sei se lembram bem disso. O ultimo presente que se ganhou aqui em casa embaixo de travesseiros foi um chocolate, em Maio do ano passado, e fui eu quem deu (mas isso não vem ao caso). O que meus pais conseguiram, foi deixar debaixo do meu travesseiro, uma eterna força do make-believe. 

Todo dia quando eu deito na minha cama, eu encontro embaixo do meu travesseiro o presente em que eu escolhi viver, e tiro dali a minha força. Ta embaixo do meu travesseiro o cara que eu quero ser, a força que eu preciso pra chegar lá. Embrulhado na minha cama, tenho toda a noite o amor imensurável que sinto pelos meus pais (e pelos meus amigos-familia) que se converte em confiança e que me ajudam a caminhar todos os dias.

Por muitas vezes, caminhei na frente, com foco, mesmo que aterrorizado. E em varias dessas vezes, eu nem acreditava que eu chegaria no final alive (e quem sabe, algumas vezes nem cheguei). Mas em cada noite que eu deitava, eu encontrava a energia deles, que torcem por mim, que acreditam em mim e que me seguram, puxam ou empurram, e fazem tudo o que eu precisar, pra chegar lá. 

É embaixo do meu travesseiro, que hoje eu encontro o amor que eu preciso, pra cada vez mais, chegar perto do cara que eles merecem ter por perto. O cara que eu quero ser!




"ain't about how fast I get there,

ain't about what's waiting on the other side,
it's the climb"

Um comentário:

  1. Poxa, que bacana! Os pais muitas vezes fazem coisas que nem eles podem imaginar como nos marcam...

    Por tudo o que descreveu, tenho certeza que os presentes continuam lá embaixo do teu travesseiro e você os tem encontrado! Confesso que tem dias que fico na dúvida se a ideia é andar "nos trilhos" ou "não andar nos trilhos"...

    Acho que nos estimular a sair do planejado as vezes é positivo... outras, é necessário andar nos trilhos, a sabedoria para saber quando é uma situação quando é a outra... acho que vem com o tempo... muito tempo! ;-)

    Mas se você tem esse poder de olhar e analisar como você tão bem fez aqui, acho que você tem todas as ferramentas para saber o que fazer e quando fazer.

    E por fim.. eu adoro essa música AHUAHU!!!
    Assistia o filme da Hannah MOntana só por conta dessa música... kkkkk
    Mas sei lá... para mim a letra dela diz muito.

    Abraço grande.

    ResponderExcluir