domingo, 28 de fevereiro de 2016

Those days.

As vezes não sei se sou eu que sonho de mais, ou se existem coisas que realmente não são tão possíveis assim. Me perco nas minhas torcidas, na minha determinação e em toda minha força de vontade. Cheguei até a me questionar se eu realmente tenho alguma força interna, ou se sou só um gravador que solta frases de um livro de auto ajuda que li no passado. 

Tem dias que parece que falta o ar mesmo. Parece que a linha de chegada ta sempre 10km da minha frente, só 10 km, mas que eu nunca vou terminar, talvez pelo fato de que eu não queira mesmo. Me confundo com as coisas que eu realmente quero, pensando que podem ser apenas coisas que eu quero querer, mas não que eu realmente as queira.

Quero mesmo é desistir! Esse é o meu pensamento em dias assim. Quero que tudo vá a merda de uma vez, nunca quis muito isso mesmo (ou quis?). Nesses dias, que é claro que eu lembro daquele tropeço feio. Lembro do meu primeiro término, do namorado bosta que eu fui com aquele cara nota 10. Lembro da minha demissão, de todas as broncas merecidas e de todas que mesmo merecendo, não levei.

Lembro dos pódios que eu nunca subi, das promessas que eu quebrei. Dos foras que eu levei, e de todas as vezes que eu tentei entrar naquela calça - que eu ficava lindo - mas que claramente não cabia. Lembro das minhas burradas,  que se duvidar lembro delas uma por uma. Lembro do trabalho que eu não fiz, da aula que eu não fui e da conta que eu não paguei.

Nesses dias o mundo já sabe dos fracassos, antes mesmo de eu acordar. Como se todos já tivessem votado em mim para o Mr. Loser do ano. É aquele soco no estomago que me deixar sem ar, que tira a minha força. Aquela escuridão em qual eu não consigo me achar e quem sabe por isso, me enxergar.
 


"Do you care enough to see? He's in pain and misery"