segunda-feira, 8 de junho de 2015

Falta.

Que saudades que eu to de tomar um gole de cerveja. Nunca fiquei tanto tempo sem tomar um golinho, e por algum tempo (pouco), ainda vou ficar sem. Junto com o gosto da cerveja, quero sentir o gosto do molho da cebola, que eu sempre uso na batata frita do Outback. E junto com isso, eu quero você do outro lado da mesa, como por muitas vezes foi. Quero de volta, você, no meu dia a dia

Mas não vem pensando que te quero por inteiro, como por algum tempo eu tive e por muito tempo desejei. Essa minha paixão já passou, demorou mais passou. E assim como você, ela me ensinou muita coisa: sobre a vida, sobre o amor e principalmente sobre mim. Me reforçou, por exemplo, quão grande é o amor que eu sou capaz de sentir por alguém.

Mostrou como a gente é capaz de conseguir tudo o que queremos, por mais difícil que seja. Me fez perceber, quão recompensador é te ter do meu lado, depois de eternizar todo o meu amor por ti, na sua maneira mais pura e duradoura, em amizade.

E mesmo a gente não medindo esforços para estamos juntos, ainda faz falta. Faz falta a tua parceria, teu comprometimento como amigo, teu pique e animo de ser pau pra toda obra a qualquer hora. Falta da tua sede insaciável e do teu fogo no rabo inapagável, falta das tua grosserias, do teu humor, e até do teu mal humor. Faz falta mesmo.

Ainda bem que também falta pouco pra gente brindar a vida juntos, em sua melhor maneira, outra vez.


"So far from where we've been
I know we're cool"

2 comentários:

  1. uau! pelo jeito foi um amor intenso e que, por sorte e esforço de voces, se tornou uma amizade incrivel! não sabe o quão sortudo vc é! aproveite!

    ResponderExcluir