sábado, 4 de janeiro de 2014

2014

O bom do segundo andar é esse: posso tudo. Mudo as cores e a decoração daqui quando eu quero. Cansei do bege, do preto e do marrom. Quero uma cor mais forte aqui em 2014. Quero uma cor mais vibrante, que chame mais atenção, quero uma cor mais feliz.

Rapidinho tudo muda de cor, aí mudo a foto e pronto, ta tudo diferente. Os posts ficam, é claro. Os posts, sempre ficam. São como cicatrizes, como manchas, como as brigas perdidas. Como as fotografias, como músicas decoradas, como os passos de dança ensaiados.

Os sentimentos também ficam. Posso descer daqui rapidinho, mas levo tudo comigo. Levo cada post que já escrevi, porque fazem parte do meu caminho. E eu consigo até esconder as cicatrizes, tampar as manchas e ignorar minhas batalhas perdidas. Posso tirar tudo que fica amostra e me relembre o que eu quero esquecer, mas simplesmente não consigo esquecer.

Posso ficar dois dias sem tua lembrança, mas aí ela volta com a saudade. Aí refaço todos os diálogos, todos os planos e todas aquelas perguntas que ainda não consegui responder. Com isso vem aquele calor, aquele sentimento de que não adianta tentar, não adianta focar, tem coisa que não vai acontecer.

E não me sobram alternativas, a não ser desistir. E desistir da gente, é desistir do caminho que eu tracei, dos objetivos que eu me coloquei. Desistir da gente é ter que esquecer o meu passado e os meus planos pro futuro. É mudar o meu presente, mudar o meu destino e te tirar do meu caminho.


"say something I'm giving up on you"