terça-feira, 8 de outubro de 2013

A hora.

E aquele dia eu te esperava, mesmo sem saber que você vinha. Eu nunca gostei de surpresas, muito menos dessas que eu já esperava. Você chegou de surpresa, mesmo que eu já te esperava. Você veio aqui na hora certa, quando eu não aguentava mais. Você veio porque algo precisava ser feito. Algo precisava ser terminado. A gente precisava terminar. 

Eu sabia, você sabia. Já era a hora. 

A gente precisava se afastar, a gente precisava se conhecer. Não um ao outro, mas cada um a si mesmo. Precisávamos conhecer o que a gente tinha se tornado depois de termos nos conhecido. Depois de termos começado a nossa história junto, depois de passarmos de eu para nós. 

Eu me virei em insegurança, em carência e em dependência. Joguei na gente a minha felicidade, e projetei em você um amor de final de filme, pedindo para me decepcionar. Você passou a se duvidar e a se contradizer. Não encontrou na gente, o romance e a fantasia que você que idealizou. A gente criou um gap, na hora em que precisava criar. 

Nesse gap eu me conheci, me espremi ao me limite e vi até que ponto sou capaz de chegar. Você amadureceu, mesmo eu achando que isso era impossível. A gente criou esse gap, para conseguir mudar. A gente também criou outra relação de parceria e confiança. A gente se provou inúmeras vezes, que somos melhores quando estamos juntos. Criamos uma relação que preferimos chamar de amizade. 

E hoje eu te espero, mesmo sem saber se você vem. Mesmo não gostando de surpresas, hoje eu sei que algumas tem seu lado bom. Hoje eu espero que você chegue de surpresa. Espero que você chegue agora, porque eu já não aguento mais. Te espero porque algo precisa ser feito. Algo precisa ser recomeçado. A gente precisa voltar. 
Eu sei, você sabe. Já é a hora.




"I have died every day, waiting for you
Darling dont be afraid.."'